Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

O problema do handebol não é só dinheiro para investimento

Publicado
  • quarta-feira, 19 de janeiro de 2011
  • por
  • Kiko Andrade
  • Muito bom o post do Atleta Diogo Hubner em seu blog, falando sobre como é dada a continuidade do trabalho na seleção brasileira masculina de handebol. E no feminino, então? Alguém sabe por onde anda Alexandre Schneider? Ele foi o técnico que levou o Brasil ao 7° lugar no mundial na Itália, mas cadê ele?

    ERRATA: Não foi Alexandre Schneider que comandou o Brasil nesse mundial, mas a base já estava montada desde os Jogos Olímpicos de Atenas em 2004.




    Será que falta dinheiro? Não, não falta!

    A confederação brasileira de handebol teve, por sete anos, o patrocínio da Petrobras estampado em sua camisa e por isso recebeu, somente ano passado, R$ 2,3 milhões.


     Além deste valor, há o total recebido pela Lei Agnelo-Piva que este ano vai somar R$ 3 milhões. Segundo a Petrobras, o desejo de romper a parceria veio da confederação, como explica a petrolífera brasileira aqui.

    Bom, não falta dinheiro, não falta matéria-prima (o handebol é um dos esportes mais praticados nas escolas brasileiras), não faltou visibilidade, principalmente depois do estouro de Bruno Souza e do Pan Rio – 2007. Então, o que falta para o handebol brasileiro deixar de ser sempre um saco de pancadas e um mero coadjuvante nas competições internacionais?


    Na minha humilde opinião, falta alguém assumir a confederação brasileira de handebol com idéias novas, com gás novo e com vontade de implementar no Brasil um planejamento sustentável para a modalidade que abrigue desde a competição de alto nível até a base escolar. Em 2011 realizaremos, em Santa Catarina, o mundial feminino da modalidade e em 2016 teremos os Jogos Olimpícos no Rio de Janeiro: se nenhuma ação for tomada o mais breve possível, não conseguiremos chegar em 2016 com um time, ao menos, mediano e  vamos jogar apenas para participar. Como o atual presidente da confederação vai continuar até 2016 como já foi comentado no post anterior, acredito que, infelizmente, as coisas devem caminhar para este rumo.

    Sim, o handebol precisa de dinheiro, precisa de espaço na TV, precisa de competições internacionais, mas também precisa ter um handebol forte aqui dentro para que assim consiga produzir bons atletas para que eles possam jogar em times europeus e assim trazer a experiência internacional que as seleções necessitam.


    E como perguntar não ofende, Será que a realização de assembléia da confederação tem algo a ver com "Formação de Recursos Humanos"? Não entendeu, então leia aqui!


    1 Comentário:

    Eduardo J. Faria.

    esse handebol brasileiro kkkkkkkkkkk, temos que amar muito o handebol pra aturar essa palhaçada toda!

    Deixe a sua opinião e contribua para o alto nível do debate!

     
    Copyright (c) 2010 Blogger templates modificado por Kiko Andrade
    1000% é melhor visualizado utilizando : Mozzila Firefox